domingo, 1 de agosto de 2010

Livin' Blues


A biografia da banda, reproduzida a seguir, em versão livre do inglês, foi retirada do site Alex Gitlin's Music.

A Livin' Blues foi uma das melhores bandas de blues holandesa. Muitas pessoas pensam que o nome da banda veio da revista norte-americana Living Blues, mas a publicação foi fundada somente em 1970. Ex-integrantes da banda afirmam que o nome foi inspirado num grupo de teatro norte-americano chamado Living Theatre.

O grupo evoluiu, em 1967, da Andy Star & The Stripes, com Ted Oberg (guitarra) e Ruud Franssen (baixo), e, em seguida, foram adicionados Björn Pool (vocal) e Niek Dijkhuis (bateria). Em 1968, a banda recrutou o duo de blues Indiscrimination, integrado por John La Grand (harmonica) e Nicko Christiansen (vocal, sax), o último substituindo Pool. No mesmo ano, Gerard Strötbaum substituiu Franssen, e César Zuiderwijk (antigo integrante da Hu & The Hilltops e da Golden Earring) assumiu as baquetas. A banda começou a chamar mais e mais atenção, resultando em um contrato de gravação com a poderosa Phonogram (que distribuía os selos Decca e Philips, dentre outros). O grupo abriu um show para a Fleetwood Mac durante uma pequena turnê no inverno de 1969.

Depois de ter gravado dois fracassados singles, Strötbaum foi substituído por Henk Smitskamp (ex-Motions e ex-Sandy Coast). O line-up com Oberg, La Grand, Christiansen, Zuiderwijk e Smitskamp gravou o álbum altamente aclamado, “Hell’s Sessions”, em 1969, a primeira produção do ex-baterista da Golden Earrings, Jaap Eggermont (mais tarde famoso por sua produtora Stars On 45), para uma nova gravadora, Red Bullet (pertencente a Willem van Kooten, a.k.a. DJ Joost den Draaijer).

Em 1970, Smitskamp foi trocado por Ruud van Buuren (ex-Groep 1850, ex-Long Tall Ernie & The Shakers). Quando Zuiderwijk juntou-se à Golden Earring, Dick Beekman (ex-Cuby+Blizzards e ex-Ro-d-ys) foi o próximo a entrar na longa fila de bateristas que tocaram na banda. A Livin’ Blues parecia mudar de baterista todo ano. Depois de “Wang Dang Doodle” tornar-se um sucesso internacional, a banda começou uma turnê pela Europa, destacando-se no Palermo Pop Festival, na Sicília. Então, John Le Jeune (ex-Island) assumiu os tambores, mas também durou apenas um álbum. A banda conseguiu outro sucesso internacional com “L. B. Boogie” e fez sua primeira visita à Polônia, onde acabou figurando como uma das bandas mais bem sucedidas de todos os tempos.

Le Jeune foi para a Schick Band, e, no seu lugar, entrou Arjan Kamminga, que foi forçado a sair logo após o lançamento de “Rockin’ At The Tweedmill” (gravado na Inglaterra e produzido por Mike Vernon), devido a problemas passados. Ele ressurgiria mais tarde na Mark Foggo & Secret Meeting. Em 1973, o britânico Kenny Lamb tornou-se o último baterista da primeira era da Livin’ Blues. O álbum “Ram Jam Josey” foi novamente produzido por Mike Vernon, que também tinha recomendado Lamb (ex-Jellybread, uma banda britânica que gravava para o selo de Vernon, a Blue Horizon).

Em 1974, a primeira era da Livin’ Blues desmoronou. John La Grand se juntou à Water, Nicko Cristiansen formou a Himalaya, Kenny Lamb voltou para a Inglaterra e Ruud van Buuren passou a integrar a Long Tall Ernie & The Shakers. Ted Oberg tinha que continuar com a Livin’ Blues, porque seu empresário (a sua própria mãe!) assinou novos contratos com a Ariola e a Grandad Music. John Fredriksz (ex-George Cash e ex-Q'65, um cantor que sempre parecia estar disponível quando uma banda no auge se dissolvia) tornou-se o novo vocalista. A banda também trouxe Paul Vink (teclados, ex-Finch e ex-Limousine), mas ele só permaneceu alguns meses. O line-up foi completado pelo retorno de Henk Smitskamp (baixo, ex-Shocking Blue), Ronnie Meyjes (guitarra, ex-Brainbox) e Michel Driesten (bateria), e a banda conseguiu um “disco” hit, “Boogie Woogie Woman”, que soava muito distante do seu antigo blues rock. Quando o álbum “Live '75” foi gravado, Meyes e Driesten tinham sumido, e Cor van der Beek (também da Shocking Blue) era o baterista.

O line-up em 1976 era: Ted, Johnny, André Reynen (baixo, ex-Simpathy e ex-Brainbox) e Jacob van Heinigen (bateria, ex-Galaxis, substituído por Ed Molenwijk, ex-Dizzy Daisy e ex-Casino). Apesar do sucesso internacional do álbum “Blue Breeze” (1977), a banda ficou sem gravadora em 1978. Pietjan Visser (harmonica, ex-Houseband) entrou na formação em 1979, mas um ano depois o núcleo da primeira era da Livin’ Blues reuniu-se para o Haagse Beatnach de 1980: Oberg, La Grand e Christiansen juntaram-se a Evert Willemstijn (baixo) e Boris (Bo, Beau) Wassenbergh (bateria, ex-Cashmere e ex-The Zoo). Esse line-up começou a excursionar novamente, mas devido à falta de interesse em tocar blues, a Livin 'Blues foi parando lentamente na primeira metade da década de 80. Enquanto isso, Johnny Fredriksz, André Reynen e Pietjan Visser formaram a Nitehawk. Quando essa banda também fracassou e dissolveu-se, Ted Oberg formou a J&T Band (Johnny & Ted), com Fredriksz, acrescida de ex-membros da Finch, Peter Vink (baixo) e Fred van Vloten (bateria).

Em 1986, John La Grand e Nicko Christiansen reformaram a Livin’ Blues e, pela primeira vez desde 1967, Ted Oberg não estava presente. Os outros membros eram: Joop van Nimwegen (guitarra, ex-Q'65 e ex-Finch), Willem van der Wall (guitarra, ex-Himalaya), Aad van Pijlen (baixo, ex-Freelance Band e ex-Himalaya) e Art Bausch (bateria, ex-Barrelhouse, ex-Oscar Benton e membro fundador da Blue Planet). Depois de um álbum de sucesso, “Now”, La Grand saiu para juntar-se à Muskee Gang, e Christiansen conseguiu um novo line-up em torno de si. No entanto, os direitos do nome Livin’ Blues pertenciam à mãe de Ted Oberg, e Christiansen foi obrigado a chamar a banda de New Livin’ Blues. Assim como todos os precedentes line-ups, a New Livin’ Blues Blues passou por muitas mudanças, que se tornaram impossíveis de documentar (principalmente devido à falta de cobertura da imprensa e registros de gravações). No disco “Out Of The Blue” (1995), o line-up era: Christiansen, Loek van der Knaap (guitarra), Frank Buschman (baixo) e Elout Smit (bateria).

Em 1996, John La Grand aderiu à reestruturada Cuby+Blizzards, e, dois anos mais tarde, Nicko Christiansen formou a Nicko C Band, mantendo Loek van der Knaap na formação. Em 1998, Ted Oberg criou sua própria banda, Oberg, com Jan Scherpenzeel (vocal, harmônica), Frank Schaafsma (baixo) e Ramon Rambeaux (bateria, ex-Wild Romance, substituído por Ronald Oor, ex-Diesel e ex-I’ve Got The Bullets). No final daquele ano, Nicko Christiansen e John La Grand excursionaram com o guitarrista Eelco Gelling (ex-Cuby+Blizzards), denominando-se Nederblues Summit.

Em 2003, Christiansen e La Grand queriam começar a se apresentar novamente como Livin’ Blues, mas Oberg se opôs. A nova banda foi então chamada Blues A-Livin’. Oberg reapareceu no ano seguinte, fazendo turnês com Simone Roerade (vocal), Rob Geboers (teclados, ex-Flavium), Marco Oonincx (baixo, ex-Ana Popovic Band) e o baterista Arie Verhaar (ex-Tom Principato e ex-Tino Gonzales), com o nome de Grand Slam.

Em 30 de junho de 2005, John Lagrand morreu, com a idade de 55 anos, de enfisema. Christiansen continuou com a banda Livin’ Blues Xperience, composta por Loek van der Knaap (guitarra), Yaroon Vanniele (baixo), Kees van Krugten (bateria) e François Spannenburg (harmônica). Em 2009, a Livin’ Blues foi eleita como a “melhor banda de blues internacional” pelos leitores da revista Two Blues, da Polônia. Ted Oberg voltou com a sua banda, Oberg, mais uma vez, agora, porém, liderada pela cantora Liane Hoogeveen. Os outros membros são: Mick Hup (guitarra, substituído por Will Sophie), Nico Heilijgers (baixo) e Paul Damen (bateria).

Observações: a) embora o disco “Livin’ Blues Now”, de 1988, conste no próprio site oficial da banda e em outros, especializados em música, como integrante da sua discografia, o álbum simplesmente não se encontra disponível em lugar algum, nem para venda nem para download. Provavelmente deve ter tido uma edição limitada ou então um lançamento restrito a uma determinada região. Por isso, não consta aqui; b) os dados dos discos foram extraídos, na sua grande maioria, dos encartes dos respectivos CDs; c) em alguns poucos casos, não foi possível obter o nome do(s) compositor(es) das músicas, porque não figura(m) nem mesmo nos encartes dos CDs; d) nos casos de divergência de nomes (por exemplo: o do gaitista fundador da banda aparece ora grafado como John Lagrand, ora como John La Grand), optou-se pelo nome que aparece em maior quantidade de vezes nos registros dos álbuns.


Discos, por ordem de lançamento:



(1969) Hell’s Session


Tracklist:
1. Waitin' On You (King, Washington) 2:47
2. One Night Blues (Christiansen, Oberg) 6:40
3. Bowlegged Woman (Christiansen, Oberg) 2:35
4. Hell's Session (Christiansen, Oberg) 4:51
5. Big Road Blues (Traditional) 2:45
6. Black Panther (Christiansen, Oberg) 3:08
7. Worried Dreams (King) 5:11
8. Big Black Train (Christiansen, Oberg) 3:58

Personnel
:
Nicko Christiansen: Vocals, Bongos, Guitar
Ted Oberg: Lead Guitar
John La Grand: Harmonica
Henk Smitskamp: Bass, Keyboards
Cesar Zuiderwijk: Drums


(CD lançado em 1991; artwork incluída)




(1970) Wang Dang Doodle


Tracklist:
1. Wang Dang Doodle (Dixon) 5:10
2. I Came Home At Night (Livin' Blues) 7:03
3. Whiskey And Gin (Livin' Blues) 2:03
4. This Is The Hour (Livin' Blues) 3:01
5. When The Sun Goes Down (Livin' Blues) 4:46
6. Go-Go Train (Livin' Blues) 4:58
7. Spoonful (Dixon) 11:49

Personnel
:
Nicko Christiansen: Vocals, Percussion, Sax, Guitar
John La Grand: Harmonica, Percussion
Teddy Oberg: Lead Guitar, Steel Guitar
Ruud van Buuren: Bass Guitar
Dick Beekman: Drums


(CD lançado em 1990; artwork incluída)




(1972) Bamboozle


Tracklist:
1. L. B. Boogie (Christiansen, Oberg, La Grand) 4:12
2. Sunrise (Oberg) 2:37
3. Keep On (Christiansen, Oberg) 3:17
4. Hitch-Hikin' (Uitvlught, Oberg, v. Buuren, La Grand) 6:05
5. Bamboozle Song (Christiansen, Oberg, v. Buuren) 2:40
6. Overture (Webber, Rice) 3:55
7. Black Night (Robinson) 7:29
8. Big City Man (Christiansen, Oberg) 3:46

Personnel
:
Teddy Oberg: Lead Guitar
Nicko Christiansen: Vocals, Sax, Bongos
John La Grand: Harmonica
Ruud van Buuren: Bass Guitar
Jonny Le Jeune: Drums


(CD lançado em 1993; artwork incluída)




(1972) Rockin’ At The Tweed Mill


Tracklist:
1. Ain't No Use Crying (Oberg, Christiansen, La Grand, v. Buuren) 4:05
2. Diving Duck Blues (McDowell) 6:59
3. Eye To Eye (Christiansen, Oberg) 3:10
4. Please Don't Leave Me (Domino) 2:55
5. Sweet Susanne (Oberg) 3:31
6. Shady Girl, Shady Girl (Oberg, Christiansen, La Grand, v. Buuren, Vernon) 2:35
7. Fool On You (Friedman) 7:04
8. Tongue ‘N’ Groove (La Grand, Wingfield) 2:21
9. You're A Stranger (Christiansen, Oberg) 5:40

Personnel
:
Nicko Christiansen: Vocals, Alto Saxophone, Maraccas, Floor Tom-Tom, Bongos, Tambourine
Teddy Oberg: Acoustic Guitar, Electric Guitar, Lead Guitar, Bass (“Sweet Suzanne”)
John La Grand: Harmonica, Chromatic Harmonica, Jew’s Harp
Ruud van Buuren: Bass Guitar
Arjean Kamminga: Drums
Pete Wingfield: Piano (“Ain’t No Use Crying”, “Eye To Eye”, “Please Don’t Leave Me”, “Sweet Suzanne”, “Tongue ‘N’ Groove”)
Mike Vernon: Vocals (“Shady Girl, Shady Girl”, “Fool On You”)


(CD lançado em 1998; artwork incluída)




(1973) Ram Jam Josey


Tracklist:
1. Dizzy Buizy Bluesman (Oberg, Lamb) 4:31
2. I'm Walking (Domino, Bartholomew) 2:48
3. Ram Jam Josey (Oberg, La Grand, Lamb) 3:43
4. Gamble On (Vernon, Oberg) 3:14
5. Poinsetta Petal (Vernon) 4:02
6. Isabella (Oberg, v. Roon) 3:14
7. Hobo Joe (Oberg, Christiansen, La Grand, Lamb) 4:39
8. I'm Coming Home (Oberg, Lamb) 6:40
9. The Great Grandfather (McDaniel) 2:47
10. Empty Glasses (La Grand, Wingfield) 1:51
11. Back Stage [bonus track] (Meyes, Fredriksz) 5:41
12. Crazy Joe [bonus track] (Oberg, Fredriksz) 4:05
13. Lazy Liza [bonus track] (Oberg, Fredriksz) 2:47

Personnel
:
Nicko Christiansen: Lead Vocals
Ted Oberg: Guitar
John La Grand: Harmonica
Ruud van Buuren: Bass Guitar
Kenny Lamb: Drums
Pete Wingfield: Piano
John Fredriksz: Lead Vocals (tracks 11, 12, 13)
Ronny Meyes: Guitar (tracks 11, 12)
Henk Smitskamp: Bass Guitar (tracks 11, 12, 13)
Michael Driessen: Drums (tracks 11, 12)
Cor van Der Beek: Drums (track 13)


(CD lançado em 1997; artwork incluída)




(1975) Live ‘75


Tracklist:
1. Black Spider Woman (Fredriksz, Oberg, v. Beek) 7:28
2. I'm a Rambler (Fredriksz, Oberg, v. Beek, Smitskamp) 7:37
3. Hoochie Coochie Man (Dixon) 6:27
4. Crazy Joe (Fredriksz, Oberg) 3:17
5. I Wonder (Fredriksz, Oberg, Meyes, v. Beek, Smitskamp) 5:47
6. L. B. Boogie (Christiansen, Oberg, La Grand) 9:16
7. Boney Marony (Williams) 3:08
Bonus Tracks:
8. Rock And Roll Hoochie Coo [previously unreleased] (Derringer) 5:06
9. I'm Coming Home [previously unreleased] (Oberg, Lamb) 8:20
10. See My Baby Drive [previously unreleased] (Oberg, Fredriksz) 6:42
11. Back Stage [previously unreleased] (Meyes, Fredriksz) 6:17
12. Boogie Woogie Woman [original recording] (Pulin) 3:17
13. Richochet [original recording] (Oberg, Meyes, Smitskamp, Driessen, Fredriksz) 2:16

Personnel
:
John Fredriksz: Lead Vocals
Ted Oberg: Guitar
Henk Smitskamp: Bass Guitar
Cor van Der Beek: Drums
Ronny Meyes: Guitar (tracks 12, 13)
Michael Driessen: Drums (tracks 12, 13)


(CD lançado em 1997; artwork incluída)




(1976) Blue Breeze


Tracklist:
1. Shylina (Oberg, Fredriksz) 5:36
2. Back Stage (Meyes, Fredriksz) 5:53
3. Midnight Blues (Oberg, Fredriksz) 3:16
4. Pisces (Oberg) 1:26
5. Bus 29 (Oberg, Fredriksz) 3:34
6. Blue Breeze (Oberg, Fredriksz) 8:23
7. Pick Up On My Mojo (Winter) 3:15
8. That Night (Oberg, Fredriksz, Reijnen, v. Heiningen) 5:18
9. Black Jack Billy (Oberg, Fredriksz) 3:39
Bonus Tracks:
10. Shannon [previously unreleased demo] (Oberg, Fredriksz) 4:53
11. Punk Funk [previously unreleased demo] (Oberg, Vink) 3:45
12. Roses [previously unreleased demo] (Oberg, Fredriksz) 4:06
13. Rock And Roll Hoochie Coo [previously unreleased demo] (Derringer) 5:10
14. Will You Still Love Me [previously unreleased demo] (King) 4:34
15. Doomsday Night [previously unreleased demo] (Oberg, Fredriksz) 4:13

Personnel
:
John Fredriksz: Lead Vocals, Backing Vocals
Ted Oberg: Electric Guitar, Acoustic Guitar, Electric Sitar, Dobro, Banjo
Andre Reijnen: Bass Guitar
Jacob van Heiningen: Drums
Peter Vink: Bass Guitar (tracks 10, 11, 12, 13, 14, 15)
Fred van Vloten: Drums (tracks 10, 13, 14, 15)
Ab Tamboer: Drums (tracks 11, 12)


(CD lançado em 1997; artwork incluída)




(1989) Snakedance (Live)


Tracklist:
1. Hoochie Coochie Man (Dixon)/Mojo Workin' (Waters) 10:13
2. Free Man (4:02)
3. Hoodoo Man (4:28)
4. The Snake (4:57)
5. Homework (5:13)
6. Midnight Cafe (6:12)
7. Black Night (9:50)
8. Border Line (5:06)
9. Wang Dang Doodle (Dixon)/L. B. Boogie (Christiansen, Oberg, La Grand) 4:00
10. My Babe (4:04)
11. Parachute Jump/Jump Five (5:58)
12. After You’ve Gonne (3:31)
13. Two Train (4:45)

Personnel
(presumível):
Nicko Christiansen: Vocals
John La Grand: Harmonica
Joop van Nimwegen: Guitar
Aad van Pijlen (van Arrows?): Bass
Willem van de Wall: Guitar
Art Bausch: Drums






(1992) A Blues Legend


Tracklist:
1. Shylina (Oberg, Fredriksz) 5:00
2. Blue Breeze (Oberg, Fredriksz) 8:15
3. Back Stage (Meyes, Fredriksz) 6:00
4. That Night (Oberg, Fredriksz, Reijnen, v. Heiningen) 5:15
5. Dizzy Busy Bluesman (Oberg, Lamb) 4:32
6. Ram Jam Josey (Oberg, La Grand, Lamb) 3:45
7. Hobo Joe (Oberg, Christiansen, La Grand, Lamb) 4:42
8. I’m Coming Home (Oberg, Lamb) 6:42
9. The Great Grandfather (McDaniel) 2:48
10. Hoochie Coochie Man (Dixon) 6:33
11. L. B. Boogie (Christiansen, Oberg, La Grand) 9:20

Personnel
:
Ver discos anteriores, já que se trata de uma compilação


(Artwork incluída)




(1993) The Early Blues Sessions


Tracklist:
1. One Night Boy (Oberg, Christiansen) 5:18
2. Rock Me Baby (King, Josea) 2:58
3. Lonesome Road (Oberg, Christiansen, La Grand) 4:41
4. Born In Chicago (Gravenites) 3:03
5. Choice (Christiansen, Oberg) 2:30
6. Selection (Christiansen, Oberg) 5:18
7. I Don't Know (Oberg, Christiansen) 5:55
8. Statement (Oberg) 3:52
9. Polisch Blues (Oberg, Marek) 4:39
10. Going Down Slow (Unknown) 3:50
11. You Don't Know How Much I Love You (Unknown) 3:44

Personnel
:
Nico Christiansen: Vocals
Ted Oberg: Lead Guitar, Bass
John La Grand: Mouthharp
Peter Kleijan: Bass
Nico Dijkhuizen: Drums
Gerard Strotbaum: Bass
Beer Klaassen: Drums
Ruud V. Buuren: Bass
Johnny Le Jeune: Drums
Marek: Fender Piano, Clavinet
Djörn Pool: Vocals
Hans Vermeulen: Backing Vocals


(Artwork incluída)




(1995) Out Of The Blue


Tracklist:
1. Mysterious Ways (Livin' Blues, Christiansen) 4:06
2. Blue Side Of Life (Livin' Blues, Christiansen) 4:26
3. Voodoo Dancer (Livin' Blues, Christiansen) 6:59
4. Skidrow ( Livin' Blues, Christiansen) 4:56
5. Who Are You (Livin' Blues, Christiansen) 3:41
6. Who's Doing That Voodoo (Livin' Blues, Christiansen) 3:51
7. Hear Me Out (Livin' Blues, Christiansen) 2:24
8. Blueshouse (Livin' Blues, Christiansen) 4:24
9. Just Wanna Make Love To You (Dixon) 4:05
10. Crazy (Livin' Blues, Christiansen) 4:05
11. Don't Worry, Baby (Durnett, Perez, Rosas) 3:19
12. Red Lights (Livin' Blues, Christiansen) 6:15

Personnel
:
Niko Christiansen: Vocals, Saxophone (Tenor, Alto), Acoustic Guitar
Loek van der Knaap: Electric Guitar, Acoustic Guitar
Frans Buschmann: Bass Guitar
Elout Smit: Drums, Percussion
Trijntje Oosterhuis: Backing Vocals
Berget Lewis: Backing Vocals
Bobby van der Bergh: Keyboards
Arno Engelhardt: Synthesizer (“Voodoo Dancer”, “Blueshouse”)
Willem van der Wal: Slide Guitar (“Voodoo Dancer”)
Ricky Sparrenburg: Percussion
El’ Smit: Congas (“Just Wanna Make Love To You”, “Don’t Worry Baby”), Octobans (“Voodoo Dancer”), Tambourine (“Voodoo Dancer”)


(Artwork incluída)




(2003) The Complete Collection (The Philips Years 1967-1973)


Tracklist:
CD 1
1. Waitin' On You (King, Washington)
2. One Night Blues (Christiansen, Oberg) 6:40
3. Bowlegged Woman (Christiansen, Oberg) 2:35)
4. Hell's Session (Christiansen, Oberg) 4:51
5. Big Road Blues (Traditional) 2:45)
6. Black Panther (Christiansen, Oberg) 3:08
7. Worried Dreams (King) 5:11
8. Big Black Train (Christiansen, Oberg) 3:58
09. Wang Dang Doodle (Dixon) 5:10
10. I Came Home At Night (Livin’ Blues) 2:03
11. Whiskey And Gin (Livin’ Blues) 2:03
12. This Is The Hour (Livin’ Blues) 4:58
13. When The Sun Goes Down (Livin’ Blues) 4:46
14. Go-Go Train (Livin’ Blues) 4:58
15. Spoonful (Dixon) 11:49

CD 2
1. L. B. Boogie (Christiansen, Oberg, La Grand) 4:12
2. Sunrise (Oberg) 2:37
3. Keep On (Christiansen, Oberg) 3:17
4. Hitch-Hikin' (Uitvlught, Oberg, v. Buuren, La Grand) 6:05
5. Bamboozle Song (Christiansen, Oberg, v. Buuren) 2:40
6. Overture (Webber, Rice) 3:55
7. Black Night (Robinson) 7:29
8. Big City Man (Christiansen, Oberg) 3:46
9. Shady Girl, Shady Girl (Oberg, Christiansen, La Grand, v. Buuren, Vernon) 2:35
10. Fool On You (Friedman) 7:04
11. Tongue 'N' Groove (La Grand, Wingfield) 2:21
12. You're A Stranger (Christiansen, Oberg) 5:40
13. Sweet Suzanne (Oberg) 3:31)
14. Ain't No Use Crying (Oberg, Christiansen, La Grand, v. Buuren) 4:05
15. Diving Duck Blues (McDowell) 6:59
16. Eye To Eye (Christiansen, Oberg) 3:31
17. Please Don't Leave Me (Domino) 2:55
18. Stealing The Blues (Livin’ Blues) 0:17

CD 3
1. Murphy McCoy (Gerritsen, Kooymans) 2:52
2. My Sister Kate (Dowell, Medina) 2:18
3. [You Better Watch Yourself] Sonny Boy (Hopkins) 2:44
4. One Night Blues [Alternative Version] (Christiansen, Oberg) 4:34
5. Wang Dang Doodle [Single Version] (Dixon) 2:52
6. Crazy Woman (Christiansen, Oberg) 2:39
7. Black Lisa (Bramlett, Christiansen, Ford, Oberg, Elijah) 2:50
8. Red River Mountain (Christiansen) 2:15
9. Choice (Christiansen, Oberg) 2:31
10. Selection (Christiansen, Oberg) 5:18
11. L. B. Boogie [Single Version] (Christiansen, Oberg, La Grand) 3:11
12. Johnny W. (Christiansen, La Grand, Lejeune, Oberg, v. Buuren) 6:58

Personnel:
O mesmo dos quatro primeiros discos.

Parte 1


Parte 2


Parte 3


Parte 4


Parte 5



EXTRAS:

1) Os dois discos da Livin’ Blues Xperience, do membro fundador da Livin' Blues, Nicko Christiansen:



(2007) LBX MIX


Tracklist:
1. Hoodoman (4:22)
2. God And The Devil (Christiansen, v. d. Knaap, Buschman) 2:27
3. Crocodile (2:15)
4. The Best Thing I Can Do (Christiansen, v. d. Knaap, Buschman) 5:26
5. Don’t Bite The Hand (3:44)
6. I Just Wanna Make Love 2 U (Dixon) 4:16
7. Voodoo Dancer (Livin’ Blues, Christiansen) 4:59
8. Red Lights (Livin’ Blues, Christiansen) 6:16
9. Who Are You (Livin’ Blues, Christiansen) 4:16
10. Black Night (Robinson) 11:15
11. Wang Dang Doodle (Dixon)/L. B. Boogie (Christiansen, Oberg, La Grand) 4:01
12. Gogo Train (8:31)
13. Fly Away (For John La Grand Rip) 6:19

Personnel
:
Nicko Christiansen: Vocals, Sax, Guitar, Percussion
Loek van der Knaap: Guitar
Kees van Krugten: Drums
Jeroen van Niele: Bass
François Spannenburg: Harmonica


(Artwork incluída)




(2008) This Is The Time


Tracklist:
1. It Was A Dream (Christiansen, v. d. Knaap, v. Niele) 3:43
2. Jimmy (Christiansen) 3:47
3. Let It Happen (Christiansen, v. Pylen, v. d. Wall) 3:43
4. God And The Devil (Christiansen, v. d. Knaap, Buschman) 2.45
5. Evil (Christiansen, v. d. Knaap) 4:14
6. The Best Thing I Can Do (Christiansen, v. d. Knaap, Buschman) 5:54
7. Something Is Missing (Christiansen) 4:51
8. Too Many Chiefs (Christiansen, Daenen) 4:39
9. Stealin’ (Christiansen) 3:41
10. This Is The Time (Christiansen, v. d. Knaap, v. Nielen) 5:04
11. No Use Cryin’ (R. Charles, arr. Christiansen, La Grand, Oberg) 4:58
12. Fantasy (Christiansen, v. d. Knaap, Buschman) 3:45
13. Bla Bla Blues (Christiansen, v. d. Knaap, v. Niele) 3:13

Personnel
:
Nicko Christiansen: Vocals, Sax, Guitar, Percussion
Loek van der Knaap: Guitars
Kees van Krugten: Drums
Jeroen van Niele: Bass
François Spannenburg: Harmonica
Evelien van der Kruit: Backing Vocals (“God And The Devil”, “The Best Thing I Can Do”, “Fantasy”)
Sandra van Adrichem: Backing Vocals (“God And The Devil”, “The Best Thing I Can Do”, “Fantasy”)
Iris van der Made: (“God And The Devil”, “The Best Thing I Can Do”, “Fantasy”)
Cor van der Roer: Hammond Organ (“The Best Thing I Can Do”, “Stealin’”, “No Use Cryin’”)


(Artwork incluída)


2) O disco da Oberg, atual banda de Ted Oberg, membro fundador da Livin' Blues:



(2009) Blues As Blues Can Get


Tracklist:
1. Blues As Blues Can Get (5:36)
2. Wishing Well (4:47)
3. What You Got (4:30)
4. Head Up High (6:37)
5. Wanna Run (4:22)
6. If You Don’t Know (3:12)
7. Life Goes On (3:24)
8. Black Spider (3:31)
9. Six String On a Wing (4:33)
10. I Want You (6:24)
11. Last Station (2:46)

Personnel
:
Liane Hoogeveen: Lead Vocals
Ted Oberg: Lead Guitar, Rhythm Guitar
Mick Hup: Lead Guitar, Rhythm Guitar, Lead Vocals, Backing Vocals
Nico Heilijgers: Bass, Backing Vocals
Paul Damen: Drums


(Artwork incluída)

18 comentários:

Celso Loos disse...

Assim dá gosto de ver. Serviço completo, sem a necessidade de "mendigar" um link para completar a coleção kkkkkkkkkk. Se bem que pra discografia extensa é mais que aceitável. Para essa postagem, de lembrança, acho que nao tem nada a acrescentar. Pelo contrário, nem sabia da existência desse "Blues As Blues Can Get"

Olha só. Como é que estão esses bitrate? Pegunto pq tô querendo fazer uma renovação de estoque.

Abração

dugabowski disse...

Celso, em primeiro lugar, obrigado pelo comentário. Em segundo lugar, o disco da banda do Ted Oberg, pro meu gosto, vale a audição; a vocalista é das "buenas". Quanto a esse negócio de bitrate, é preciso desmistificar um pouco a áurea que cerca os famosos "320 kbps". Já escutei disco de mp3 com 128 kpbs melhor do que disco de mp3 com 320 kbps (não juro porque não acredito Nele [mas convém respeitar; afinal, na trincheira não tem ateu...], mas é verdade). Tudo, na realidade, depende da gravação original. A conversão não faz milagres; não torna a gravação ruim em gravação boa. Ultimamante eu tenho usado, para ripar os CDs, ao invés do método VBR, que fornece um bitrate fixo, predefinido, para todas as faixas, o método ABR, que fornece um bitrate variável, de acordo com a gravação do álbum. Isso é feito automaticamente pelo programa conversor, no meu caso, o FairStar Audio Converter. Mas, na situação concreta, a discografia da Livin' Blues, não tem nenhum disco ripado em 128 kbps (tá bom; 128 kbps é dose); tá quase tudo em 320 kbps; poucos em 224 kbps e 256 kbps, e pouquíssimos em 192 kbps (aliás, segundo a Wikipedia, o 192 kbps "está a tornar-se o novo padrão para música MP3. Com este bit rate, apenas os ouvidos mais profissionais conseguem notar a diferença em relação a um CD". Mas fica a teu critério, Celso. O legal, porém, é que a maioria dos discos vem acompanhado dos encartes dos CDs; pra quem não tem os originais (não deve ser o teu caso, logicamente), é um achado. Um grande abraço.

Anônimo disse...

Olha para mim parece estar excelente, posso até esta enganado, mas baixei e na minha concepção esta ótimo só me resta agradecer pelas postagens, banda virtuosissima e de boa qualidade,Obrigado só espero encontrar mais novidades e embriagar-me com sublime sonoridade no leito do meu quarto,Valeu,Wlater.

dugabowski disse...

Obrigado pelo comentário, anônimo Wlater (deve ser Walter, se não estou enganado). Volte sempre. Um abraço.

Celso Loos disse...

Fiz a fama e nem cama agora tenho.
Destes tenho um só original e em vinil

Toda essa estória de bits and bytes bem conheço. O que na verdade pergunto é em busca de uma pista para saber o que esta por vir.

Na boa, outro dia baixei um em 320, de um cara com "ouvidos treinados", expert no caraio de asa e especialista na pqp (destes que parecem a Wikipedia, sabem tuuuuuuuuuuuuuuuudddo kkkkkk) e te confesso: NUNCA OUVI MRDA TÃO MAL FEITA. Só me arrependo de não ter comentado. Se bem que eu acho que não publicariam, e se o fizesse, apareceriam 2 ou 3 abduzidos para dizerem que estou errado. Melhor não perder tempo.

Agora me preocupo sobre esses 192 como padrão. Tenho comprado (mesmo) alguns Mp3's nessa qualidade (??????????) que são horriveis. Principalmente se vc quiser ouvir numa aparelhagem mais, hã, digamos, antiga.

Abração mesmo

dugabowski disse...

Celso, te confesso que eu também não sei muito a respeito disso. Só sei, como tu também sabes, quando uma gravação tá boa ou tá ruim. Outra coisa que sei é que o áudio ripado no sistema flac apresenta a melhor qualidade sonora, mas os arquivos ficam grandes demais, tornando proibitivo o seu compartilhamento (em torrent ainda tem muitos arquivos nesse formato). Eu também tenho comprado discos em download, mas vêm sempre acima de 192 kbps: os da CD Baby vêm, quase todos, em 320 kbps, e poucos em 256 kbps; não posso me queixar. Um abraço.

Fred Benning disse...

Não tenho o que reclamar duga, é botar para rolar,e tomar alguns geladas.Valeu!

Abraço

dugabowski disse...

É isso aí, Fred. Embora aqui no Sul esteja um frio do caraio, o que prejudica as geladas. Tô botando até aqueles ceroulões que os mocinhos (e os bandidos também) usavam nos filmes de faroeste... A "me(rda)ia idade" é foda... Um abraço.

DAGON disse...

Fal ae Duga, conheço pouco da banda, coloquei no blog os três primeiros albums que são excelentes, inclusive os dois primeiros numa edição de versão única que pra mim é uma das melhores coisas de blues que ouvi recentemente, li por ai que depois dos três primeiros a banda perdeu o pique com uma certa mudança de sonoridade mas vou procurar conhecer melhor o trabalho da banda. Parabéns pelo bélissimo e sem dúvida trabalho post.

[]s.

dugabowski disse...

Obrigadaço pelo comentário, Dagon. Pô, depois da tua proeza com o Uriah Heep (que eu já tinha comentado lá no H&H), o meu trabalho foi fichinha. Mas a banda é boa. E o disco da Oberg, pra mim, foi uma surpresa positiva; a vocalista manda muito bem no blues. Um abraço.

Arquelau disse...

Simplesmente d+, todos os links funcionando, sem frescuras de link protegido. Só tenho a desejar PARABÉNS pelo post. São pessoas iguais a você que a rede precisa.
Mais uma vez PARABÉNS...

dugabowski disse...

Arquelau, muito obrigado mesmo pelo comentário. São daqueles que nos motivam muito. Um abraço. E semana que vem já tem novidade no pedaço. Aguardem.

Ser da Noite disse...

Fala, Arquelau.
A opção de colocar as frescuras de links protegidos é uma tentativa para que eles permaneçam mais tempo ativos.
Desta forma, evitamos ter que levantar o mesmo link várias vezes porque ele foi denunciado.
[ ]s

Talcualcat disse...

excelente grupo , pero donde estan los links ??

Ser da Noite disse...

Haga clic sobre las imágenes para descargar, Talcualcat.
[ ]s

Anônimo disse...

Cara em 1º lugar, parabens pelo blog, é sensacional, perdoe a ignorancia,mas tem bandas que eu realmente não conhecia, o Livin é uma delas. Me amarrei no som dos caras, emais uma vez parbens pelo blog e obrigado por disponibilizar tantas obras, valeu mesmo.

Tugal

Anônimo disse...

Maravilha, eu não conhecia a banda e fiquei de cara... parabéns pelo trabalho dos posts, um fio de ouro pra nos atar à boa música.

andrea disse...

Em menos de 1 minuto você estará assistindo TV www.tvnocelular.com.br